Sanções econômicas e restrições de viagem atingiram funcionários envolvidos na investigação de tropas americanas e funcionários do serviço de inteligência por possíveis crimes de guerra no Afeganistão. Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participa de reunião na Casa Branca, em Washington, na quarta-feira (10)
Patrick Semansky/AP
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, autorizou nesta quinta-feira (11) sanções econômicas e restrições de viagem contra funcionários do Tribunal Penal Internacional (TPI) diretamente envolvidos na investigação de tropas americanas e funcionários do serviço de inteligência por possíveis crimes de guerra no Afeganistão sem o consentimento dos EUA.
A secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, afirmou em um comunicado que as ações do tribunal “são um ataque aos direitos do povo americano e ameaçam violar nossa soberania nacional”.
O comunicado diz ainda que o TPI “foi criado para prestar contas de crimes de guerra, mas, na prática, tem sido uma burocracia internacional ineficaz que visa ameaçar o pessoal dos Estados Unidos, bem como o pessoal de nossos aliados e parceiros”.
TPI
O Tribunal Penal Internacional, que tem sede em Haia, na Holanda, foi criado no dia 1º de julho de 2002, após a ratificação do Estatuto de Roma por 60. Os crimes incluídos nas competências jurídicas da Corte são o genocídio, os crimes de guerra e os crimes contra a humanidade, entre eles o extermínio, a escravidão, a tortura, a violência sexual, as perseguições por motivos raciais, étnicos ou religiosos, a deportação e o apartheid.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui